O mercado de seguros e previdência no Brasil

O mercado de seguros e previdência no Brasil

Dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep) relativos aos três primeiros meses de 2015 revelam que o setor de mercado de seguros e previdência, teve crescimento de 22,4%. Já o volume de receitas alcançou a marca de R$ 42,5 bilhões, versus R$ 34,7 bilhões no mesmo período de 2014. Produtos de previdência VGBL apresentaram incremento de 49,7% nas receitas, superando R$ 18,4 bilhões de janeiro a março deste ano.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro recuou 1,6% no primeiro trimestre de 2015, frente o mesmo período de 2014. O setor da indústria apresentou queda de 3% no período, já a agropecuária, cresceu 4,7%. Este panorama econômico é importante para apresentar como o mercado de seguros e previdência está em franca expansão no país.

Dentro do mercado segurador, o segmento de seguros de pessoas responde pelo terceiro maior volume em vendas, tendo registrado crescimento de 11,3% no período.

Previsões de crescimento para o mercado de seguros e previdência em 2015

Para 2015, a expectativa para setores importantes da economia é de crescimento menor do que o registrado em anos anteriores. Segundo o Instituto para o Desenvolvimento do Varejo (IDV), o segmento deve crescer de 5,5 a 6% neste ano. Já para a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia), o setor deve crescer 2,5% no volume de produção industrial.

Por outro lado, conforme projeções da Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg), o mercado de seguros e previdência deve manter o ritmo de crescimento dos últimos anos e registrar alta de 12,4% em 2015. Ainda de acordo com a entidade, o setor deve arrecadar R$ 369,8 bilhões no ano, sendo 35,1% deste montante no segmento de coberturas de pessoas, ou seja, seguro de vida e planos de previdência. Em reservas técnicas, quantia financeira para garantir o pagamento de benefícios, a previsão é ultrapassar R$ 668 bilhões.

Mercado com grande potencial

O desempenho histórico do segmento mostra crescimento em receitas com dois dígitos. Quando analisados os faturamentos dos prêmios diretos com seguros de vida, que são as mensalidades pagas pelos clientes para a manutenção dos planos, em 2011 foram faturados R$ 8,5 bilhões e, em 2014, R$ 11,2, crescimento de mais de 30%.

Já o volume de aplicações financeiras em planos de previdência complementar no Brasil saltou de R$ 53,7 bilhões em 2011 para R$ 83,7 bilhões em 2014, incremento de 55,8%. O volume representa 40% da arrecadação do setor na América do Sul.

Outro dado que impressiona é a evolução da participação do mercado de seguros e previdência no PIB brasileiro. Segundo estudo da CNseg, o percentual segue curva de crescimento desde 2010, quando o mercado representava 4,6% das riquezas do Brasil. A expectativa para o ano de 2015 é de que este número chegue a 6,3%.

  • Publicado

    10 de setembro de 2015

  • Categoria

    Mercado